Home » , » Baú das recordações da Flor de Cristal!

Baú das recordações da Flor de Cristal!

Como prometi, chego novamente nesse espaço para deixar as impressões de submissas que admiro...E MUIIIIIITO! Pela postura, humildade e a forma como interagem com todos nesse mundo lúdico, cheio de informações e às vezes confuso, que é a blogosfera!

Flor de Cristal - a Florzinha (como carinhosamente a tratamos) - chama nossa atenção para algumas coisas incômodas que algumas de nós, ainda teimamos a querer jogar pra debaixo do tapete: as irmãs de coleira - duas submissas ou mais que servem o Dominador de forma harmoniosa (possível, mas difícil, devido aos moldes sociais incrustrados e também por causa de expectativas não ditas ou expostas entre Dominador e submissa), a possessividade/ciúmes das submissas e a superação de desafios - sim pois a vida de uma submissa é tecida de galgar degraus, sejam em práticas BDSM, sejam na percepção de seus sentimentos e ansiedades. Como foi dito na postagem anterior, nem tudo fica adstrito a sexo selvagem e gostosinho, hihihi.


Mas chega de "mimimi" e vamos as impressões dela:

"Já fui mal compreendida por meninas que não aceitam meu pensamento de que  não somos namoradas e Eles como Donos podem ter quantas submissas quiser. E muitas diziam que jamais iriam para uma sessão com uma irmãzinha de coleira. Eu  não trato deste assunto com preconceito e não vejo qualquer problema duas meninas servindo Seu Dono, apesar de nunca ter passado por esta experiência...eu nunca me opôs, só que nunca aconteceu.

Quando vejo um Dono cuidado de sua cria morro de paixão, porque penso que assim é e que deve ser. Ao meu ver conhecimento e cumplicidade é tudo para uma relação saudável dentro do BDSM. 
Mas muitas meninas pisam nos tomates, minhas amigas, quando elas querem ser "donas" destes Dominadores. Às vezes nem permitiam que Seus Donos tivessem amizades com as pessoas. Outras agiam como namoradas para controlar os mesmos, com insistentes ligações querendo saber onde está e com quem está! 





Sou a favor do Dono decidir a vida de uma submissa. Mas isso não quer dizer que somos obrigadas a aceitar todos os caprichos de qualquer Dominador. Tenho meus limites e não posso me dar o luxo de me machucar em nome da submissão! Gosto deste jogo que existe entre o Dono e sua submissa, gosto disso. Claro que eu já me submeti a muitos desafios e nunca foi preciso ter uma senha porque Ele sabia nos meus olhos quando era a hora de parar. Eu sou o meu próprio paradoxo e já escrevi a respeito no Orkut. Sou decidida e forte como mulher, mas me deixo abater quando tenho um Dono que controla minha vida. Mas muitas não concordam com este pensamento e elas tem razão pois em algumas ocasiões, Seus Donos não deixam claro o que querem destas meninas. E por isso a confusão fica cada dia pior."  


*******************************
Fecho a postagem aqui, deixando claro que essa é uma impressão da Florzinha, algo pra ser analisado e incorporado como informação e aprendizado.

Também enxergo que Dominadores tem todo direito de terem outras (que podem ou não interagir sexualmente) desde que deixem claro tal fato na "negociação" (ou flerte BDSM, rsrsrs), não esconda isso das outra(s) submissas. Assim como as submissas precisam ser honestas com seus limites - principalmente coisas que prejudiquem o tripé do equilíbrio de qualquer ser humano: a saúde, a família e sua vida profissional. Se há quebra na confiança, a relação BDSM por consequência enfraquece, podendo existir obviamente, o rompimento pela parte Dominante ou a entrega da coleira por ambas as partes, ninguém é obrigado a aceitar nada. Se não está bom, o honesto e sensato é sair da relação ou tentar recomeçar se ambos assim desejarem.

Esse mundo não é feito apenas de coisas belas, há as dores, os erros, os desacertos. E acredito, que conhecendo isso, seja possível alcançar o idealismo condizente a cada um de nós. Consensualidade e discernimento são palavrinhas tão necessárias!  Quando a relação atinge um estágio de afinidades maior, os limites vão sendo superados e a submissa entrega-se intensamente, sem questionar, negociar ou usar sua "safe" (palavra ou gesto que denote seu medo). Como bem disse a Florzinha, o Dominador conhece a submissa a tal ponto (amei ler isso, rsrsrs), que Ele sabe até onde deve ir, sem ela pedir, sem ela dizer uma única palavra. E isso leva tempo. Nada vem embasado em ansiedades várias.

Quer saber um pouco mais? Vale a pena ler as impressões desse ser, que antes da submissa sensata, demonstra sensibilidade e sobretudo a consciência de que somos passíveis de erros. Uma apaixonada pelo BDSM, assim como eu e tantas outras com quem converso. Peço que leia, sem julgamentos e desprovido(a) de possíveis orgulhos, pois o que mata um ser humano na sua essência e limita a si mesmo, é não enxergar outras realidades:


Clique aqui: Baú das recordações - por Flor de Cristal

{perséfone core}_DC
 
Support : Copyright © 2015. Anissa Blogs - All Rights Reserved