Home » » Os menores de idade e o BDSM...

Os menores de idade e o BDSM...

Esses dias, me pus a pensar nisso e comecei a refletir sobre a curiosidade dos jovens.
Desde meu início na blogosfera, sempre me preocupei com essa questão –  os menores de 18 anos. 

DONO e eu somos contra a pedofilia, sexo com adolescentes, e outras insanidades que destroem a formação de um ser. BDSM não é isso. Não para nós e tantos outros que lutam para mostrar que não somos bestiais, doidos, completos malucos sem controle de seus instintos.
Assim como na sociedade baunilha existem os insensatos, no mundo BDSM também não é diferente. Não sejamos ingênuos ao acreditar que vícios e maldades várias também não resvalam nesse mundo. Os mesmos problemas que temos lá, também temos cá. Não deixamos nossa essência de lado de fora da porta, quando escolhemos passar o limite - entre nossas máscaras sociais e a própria hipocrisia. A sociedade de BDSMers nada mais é do que baunilhas que resolveram colocar seus desejos, fetiches e fantasias para fora do “dito armário”. 

Agora, voltemos ao ponto (faaaaloooo muiiito, rs). Como um menor monta um nick/avatar qualquer, se aproxima dos praticantes e diz que tem diversos quereres? Hum. Eles têm acesso a informações em tempo real. Net, livros, salas de bate papo, amigos. Vivem conectados e são rápidos em ter e repassar informações. A notícia chegará até eles, queiram ou não! Não adianta muita coisa lacrar livros e tirar da vista deles, isso é apenas uma medida paliativa, pois a transformação só acontece, através da conscientização, paciência e educação.

Curiosos do jeito que são, acharão um meio de ler e ver coisas proibidas por outros meios! Ahhh se vão! E como vão! Por essas e outras que não minto aos jovens, só digo o que é para ser dito, de acordo com o nível de curiosidade/maturidade deles.
O Estatuto da Criança e do adolescente em um de seus vários artigos, proíbe a venda de material com conteúdo erótico a menores. Ok. Mas fico imaginando os cigarros e vodcas que os mesmos consomem em baladinhas afora. Que contradição não? E sem fiscalização, claro que a economia anda por suas próprias pernas, não levando em consideração as questões éticas e humanitárias. De um lado proíbem uma coisa, de outro a impunidade e permissividade imperam. Mas isso é uma outra história.  


Vi uma menina de 15 anos lendo um livro de teor BDSM e desejando ardentemente ser escrava em toda sua plenitude. Vamos compreender. São devaneios de uma menina querendo tornar-se mulher. Assim como eu também agi da mesma forma, quando li a sexualidade intensa e cheia de ardor dos Deuses mitológicos da Grécia antiga. E viajava na maionese! >.<

Isso quando não lia as historinhas em quadrinhos de Conan o bárbaro - do meu irmão mais velho - e sonhava ser raptada como as princesas indefesas/submissas da revista e colocada sob vigia...aprisionada, hihihihihi. Todos nós já fomos curiosos adolescentes e não devemos zombar dos mais novinhos jamais. Não seria justo, não é mesmo? 

Penso que somos responsáveis por eles. Sim. Somos. Eu escrevo em dois blogs e muitas pessoas lêem meus escritos, assim como os da Leninha (Lena Lopez) e os da Sophys (Sophysticada Atrevida). Se me proponho a escrever, devo ser responsável pela manifestação do meu pensamento, por mais bobo que seja. Não é “só minha opinião e ponto final, publico no mundo virtual e dane-se o resto”.

Devemos ter o discernimento de que as palavras ficam, elas percorrem todo um caminho e querendo ou não, todas as opiniões tem poder, por mais simplórias que sejam. Opiniões geram outras opiniões e das mesmas, as ações são tecidas e construídas. Assim como também devemos ter sensibilidade e compreensão ao tratar dos interesses dos jovens, em sua ânsia de viver.

Portanto, quando vejo um(a) menor que por mais maduro(a) que se considere, emitindo opiniões e manifestando seus sonhos, procuro pensar nele(a) sim. Pois o mesmo(a) leu toda a relação que vivencio com Meu SENHOR. Penso que eu sendo mulher madura e escrava, em determinados momentos, minha condição me leva a umas crises existenciais incríveis. Pois é. Não é fácil ser e permanecer escrava, mesmo que tenhamos conhecimento e essência para tanto.

Agora imaginem essas sensações em uma menina verdadeiramente ingênua? Grifei de propósito pois todos nós sabemos que existem adolescentes não tão ingênuos. O que uma relação de tal teor pode ocasionar na sua formação psicológica? Ela não será afetada? Fora as questões penais/criminais que podem desenrolar, caso um Dominador todo “cheio de boas vontades”, resolva treinar essa menina tão cheia de sonhos e querer viver! Sim, pois mentir a idade é algo corriqueiro entre eles. 

Não sou a favor de SÓ o Estado ser o paizinho desses jovens. E um juiz, representando o mesmo, desfira alguma sentença judicial pra protegê-los. Sou a favor de toda uma sociedade cuidar dos mesmos. Li vários comentários debochados sobre um magistrado usar da legislação vigente e restringir as literaturas de conteúdo erótico - aí pergunto-me: até quando nós “os ditos adultos” vamos continuar a agir como Peter Pans de um BDSM encantado?

Jovens precisam de orientação e limites sim. Precisam de exemplos, de amigos e não de deboche. Principalmente exemplos, principalmente esses. Se sou BDSmer e um menor curioso se aproxima de mim, não alimento suas fantasias e trato de dizer que suas ações, trarão consequências.

Sou submissa/escrava, mas antes de tudo sou mulher e vivo em uma sociedade que possui regramentos. Por conta disso, minha opinião é que menores devem esperar seu momento e não adiantar fases ou perder as mesmas. 

Tudo na vida tem um tempo certo. Fases, momentos. Como flores que desabrocham. E sábio daquele que reconhece isso. Que ao menos essa turminha espere sua maioridade penal. Espere seu momento. Que urgência toda é essa? Não consigo entender esse imediatismo histérico de fim dos tempos, na qual estamos imersos e por isso, passamos para as novas gerações. Um medo monstruoso da derradeira morte, que nos leva a sugar o que a vida nos oferece sem raciocinar. E depois que a consequência já é e está, tratamos convenientemente de procurar alguém para culpar, nos posicionando como vítimas. É um ciclo vicioso!!!

Talvez alguns me considerem moralista ou uma baita afrescalhada. Que seja. A sociedade é feita de rótulos mesmo...
Mas se uma linda subzinha, ávida e menor de idade lhe fizer parar em uma delegacia e seu rosto for estampado em páginas de jornais sensacionalistas, depois não adianta chorar, tampouco procurar possíveis culpados. A gente sabe mesmo o que uma determinada menina faz quando acessa a internet?

E pior, sabemos que existem pessoas que não se atentam a questão da idade, pois os instintos/hormônios do sujeito estão mais em profusão que a do próprio(a) adolescente...e detalhes gritantes não são vistos ou levados em conta. Mas ainda bem que hoje - ainda que a passos lerdos - a Justiça vem levando em consideração o grau de vulnerabilidade dos menores de idade.
 
Informação é bem vinda sempre...na hora, momento oportuno, quando "pedimos" pela mesma de acordo com nossa maturação pessoal e sexual.
................................................................

Pois BDSM não é ausência de bom senso.
E tampouco circo de horrores.

{perséfone core}_DC
 
Support : Copyright © 2015. Anissa Blogs - All Rights Reserved